Terça, 27 de Outubro de 2020 23:11
42 9.8848-9296
Agronegócio/Meio Ambiente Praga de Insetos

Uma nuvem de gafanhotos pode chegar no Sul do Brasil

O estado do Rio Grande do Sul na região de fronteira com a Argentina pode ser invadida por gafanhotos.

23/06/2020 19h27 Atualizada há 4 meses
313
Por: Redação Fonte: Redação
Uma nuvem de gafanhotos pode chegar ter até 40 milhões de insetos que se locomovem em busca de alimentos. Reprodução redes sociais
Uma nuvem de gafanhotos pode chegar ter até 40 milhões de insetos que se locomovem em busca de alimentos. Reprodução redes sociais

Gafanhotos destruiram plantações por onde passam a exemplo do que aconteceu no Paraguai e Argentina. Como o Brasil tem fronteira com a Argentina país as autoridades sanitárias do estado do Rio Grande do Sul estão em alerta. 

O alerta ocorre, pois o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Alimentar da Argentina (Senasa) publicou em sua redes sociais fotos de como os insetos deixaram plantações e a sua movimentação. O que deixa o Brasil vigilante é que o mapa publicado mostra um possível avanço dos insetos para o Rio Grande do Sul. 

 

Os gafanhotos chegaram na Argentina depois de passarem pelo Paraguai deixando um rastro de destruição. Em sua conta do twitter a Senasa mostra fotos de como ficou uma plantação de milho depois que os insetos passaram. 

 

Uma nuvem de gafanhotos pode chegar ter até 40 milhões de insetos que se locomovem em busca de alimentos e o vento também pode ajudar na movimentação. A autoridade argentina manifestou nas redes sociais que estão monitorando evento e que existe um protocolo de defesa agropecuário em relação a este tipo de praga.

 

Os insetos podem não não causar danos ao seres humanos, mas já as plantações ficam totalmente dizimadas. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias