Segunda, 10 de Maio de 2021 19:15
42 9.8848-9296
Dólar comercial R$ 5,23 0.07%
Euro R$ 6,35 -0.14%
Peso Argentino R$ 0,06 -0.65%
Bitcoin R$ 309.265,07 -3.032%
Bovespa 121.909,03 pontos -0.11%
Economia Economia

Emprego doméstico remunerado cai 23% no quarto trimestre de 2020

Queda é superior a diminuição de ocupação no quadro geral no país

27/04/2021 22h04
39
Por: Redação... Fonte: EBC

A população ocupada em trabalhos domésticos remunerados está encontrando menos oportunidades de emprego. Segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a quantidade de pessoas empregadas no setor caiu de 6,4 milhões, no quarto trimestre de 2019, para 4,9 milhões no mesmo período do ano passado.

A queda, de 23,4%, é superior à diminuição de ocupação no quadro geral no país: no quarto trimestre de 2019, haviam 94,5 milhões de pessoas ocupadas no Brasil; já no mesmo período de 2020, esse número era de 86,2 milhões, uma queda de 8,7%.

Os dados do Dieese, divulgados hoje (27), são baseados na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o levantamento, aumentou a proporção de trabalhadores domésticos remunerados sem carteira de trabalho: eram 73% no quarto trimestre de 2019 e passaram a ser 75% no mesmo período de 2020. A proporção dos empregados do setor que contribuíam com a Previdência Social também diminuiu: de 37,5%, no quarto trimestre de 2019, para 35,6%, no mesmo período de 2020.

O rendimento médio mensal do trabalhador doméstico remunerado caiu de R$ 924 (quarto trimestre de 2019) para R$ 876 (mesmo período de 2020). Houve queda em todas as regiões, exceto na Região Norte, onde ficou estável. Segundo o Dieese, os trabalhadores informais ganham 40% menos do que os formais e os negros recebem, em média, 15% menos.

Segundo o levantamento do Dieese, do total de trabalhadores ocupados no trabalho doméstico remunerado, 92% são mulheres, das quais 65% são negras. No quarto trimestre de 2020, as domésticas chefes de família eram 52,4%; no mesmo período de 2019, eram 51,2%. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias